MAMOPLASTIA - Redução dos seios.

A cirurgia para redução das mamas, consiste na retirada de tecido glandular e pele levando a uma redução de tamanho e peso das mamas.

Pode ser realizada por incisões de vários tamanhos, sendo que, a incisão aumenta de acordo com a necessidade de redução. A incisão varia desde uma exclusivamente periareolar até uma periareolar associada a um "T" invertido.

O tipo e o tamanho da incisão definem o tamanho final das cicatrizes.

Os tecidos da glândula mamária serão re-organizados após a ressecção do "excesso" para se conseguir uma boa forma na nova mama. Isto pode alterar o posicionamento de nódulos ou cistos mamários, que não sejam retirados no tecido ressecado.

As aréolas e mamilos também serão reposicionadas. Podendo ser necessária a ressecção do complexo areolo-mamilar e sua enxertia. Assim, a sensibilidade destes pode ser alterada, assim como sua coloração, em qualquer das situações.

A plástica mamária normalmente não altera a amamentação, mas existem casos de impossibilidade de amamentação.

Caso ocorram alterações na mama, após a realização da cirurgia, poderá ser necessária a realização de exames de Ultra-som ou de Ressonância Nuclear Magnética, para elucidação diagnóstica.

As cicatrizes evoluem de acordo com a fisiologia individual, geralmente ficando pouco perceptíveis, principalmente na penumbra. Caso ocorram alterações, existem tratamentos que podem ser empregados, na tentativa de melhorar o aspecto das cicatrizes, inclusive o disfarce com pigmentação da aréola e da cicatriz.

É possível que ocorram manchas roxas (equimoses), perda da sensibilidade parcial ou total, temporária ou permanente das mamas.

As mamas podem cair com o tempo. A mama é um órgão sustentado essencialmente pela pele, assim COM O PASSAR DOS ANOS, AS MAMAS PODEM CAIR.

Em qualquer cirurgia plástica pode ser necessário um novo procedimento para "retoque" quando existir uma cicatriz não estética, uma sobra de pele ou de tecido gorduroso e um mal-posicionamento dos mamilos. Nestes casos ficam sob responsabilidade do paciente as despesas hospitalares, não havendo qualquer custo com a equipe médica.

Voltar